domingo, 22 de julho de 2012

TENCHU: STEALTH ASSASSINS!

Escrito e editado por: Edu-jb

Gênero: Ação/espionagem
Plataforma: Playstation
Ano de Lançamento: 1998
Produtora: Acquire/Activision

Revisão: os ninja povoam os jogos de videogame desde os anos 80, ainda no NES. Nessa época, Ninja Gaiden talvez tenha sido o maior sucesso deste gênero. No entanto, foi apenas na quinta geração, no Playstation, que surgiu um grande nome capaz de simular a movimentação e os combates da época dos ninja: Tenchu. Apesar de não haver compromisso histórico, o jogo se passa durante a Era Sengoku (1467-1573), um período feudal em que grandes senhores da guerra (daymio) disputavam o domínio militar do país. Entre as muitas forças empregadas na batalha, estes espiões representavam um importante recurso, seja para assassinato, seja para reconhecimento e informações. Na história do jogo, o clã Azuma há muito tempo serve o clã Gohda, que domina um vasto território. O maligno Lord Mei-Oh pretende destruir Gohda com auxílio de seu servo demoníaco Onikage. No início do jogo você poderá escolher entre dois ninja (que não poderão ser alternados durante o jogo): Rikimaru, mais forte e com sequências curtas, armado com uma tradicional ninjaken;  e Ayane, mais ágil, com sequências longas, armada com duas tanto. Além de suas armas principais (que não podem ser alteradas), vários itens podem ser levados para as missões. Esses itens são ganhos conforme a progressão do jogo, que inicia com missões simples, como punir um mercador inescrupuloso, e segue com missões de infiltração muito complexas, em prédios repletos de inimigos e armadilhas, além de grandes boss battles. Tenchu foi um jogo de muito sucesso principalmente por conseguir transpor a realidade ninja para um jogo, em especial nos movimentos de assassinato (stealth kill).

Jogabilidade: segue o padrão 3D de movimentação, similar a Tomb Raider. O direcional (ou alavanca nos controles mais avançados) move o personagem, sendo que para cima e para baixo fazem seu ninja andar para frente e para trás respectivamente. Esquerda e direita mudam a direção enquanto o personagem se desloca. Quadrado ataca com a arma principal, triângulo usa os itens especiais, X salta, círculo abaixa, R1 aciona a visão em primeira pessoa e L1 mira no adversário. Segurando o direcional para trás aciona a defesa com a espada. Os itens são selecionados com R2 e L2. Entre os muitos itens utilizados, a corda com gancho é obrigatória, auxiliando seu personagem a escalar grandes prédios e assim passar despercebido por guardas e sentinelas. Entre os outros itens vale lembrar das ervas de cura, dos shuriken, dos makibishi, das bombas de pólvora e de fumaça, da armadura, entre alguns outros. Esses itens podem ser ganhos ao progredir o jogo e, alguns, ao passar das fases com o rank máximo, Grand Master (conseguido ao vencer a maioria dos oponentes com stealth kill). O stealth kill funciona de forma bem simples, basta pressionar quadrado pelas costas de um oponente distraído. Para saber se o oponente está distraído ou alerta é possível utilizar um tipo de radar no canto inferior esquerdo da tela que permite avaliar o Ki do oponente mais próximo, assim como perceber a que distância ele está. Um inimigo em alerta (após ter visto o personagem ou ver um aliado morto) não pode receber stealth kill. Após ser visto é possível fugir ou despistar os oponentes. Essa tática é consideravelmente mais "saudável" do que enfrentar muitos homens de uma vez só, o que é quase garantia de morte.

Pros: a jogabilidade é histórica, responsável pela implementação de muitos fatores em jogos ninja futuros e stealth em geral. Os gráficos talvez não impressionem (podem ser até considerados ruins por alguns), mas a qualidade empregada na hora de produzir os cenários e as roupas (típicas do Japão medieval) com certeza vão agradar aqueles mais fanáticos pela cultura japonesa. As lutas, apesar de difíceis, são muito realistas, sendo virtualmente impossível (ou muito difícil) resistir a um grande número de oponentes. Isso diferencia Tenchu da maioria dos jogos de ação similares, não é mais um daqueles que o personagem usa uma grande arma que acerta cinco ou seis oponentes ao mesmo tempo, cada inimigo deve ser combatido separadamente. As armadilhas nos cenários mais avançados são geniais, exigindo táticas avançadas para superá-las sem ser visto pelos guardas. Além disso, a trilha sonora é precisa, com muitos sons do Japão medieval e a dublagem é muito bem feita, destaque, claro, para a original japonesa.

Contras: a jogabilidade, apesar de bem inovadora, tem lá seus defeitos, sendo às vezes difícil de se adaptar. O maior defeito (corrigido nas versões futuras) é a defesa ser acionada segurando para trás, a que torna muito imprecisa. O jogo apresenta vários bugs (como paredes que simplesmente somem), o que pode obrigar o jogador a ter que repetir algumas missões. Além disso, algumas cenas de stealth kill são demasiadamente longas, o que pode fazer com que algum outro guarda veja seu personagem enquanto ele realiza os movimentos.

Screenshots:











Trailer:


Considerações Finais: Tenchu é um dos grandes jogos do PSX, no que representa uma das melhores (melhor para mim) série de ninja já produzida. A jogabilidade, os itens, os cenários, a música, tudo colabora para uma ambientação perfeita no Japão do século XVI. Além disso, o game contém um bom nível de desafio, tendo mais de um nível de dificuldade, além do extra de completar as missões no rank Grand Master. Após o sucesso deste jogo, algumas sequências foram criadas, uma delas ainda no psx (conforme falaremos em breve).  Recomendo a série a todos que puderem jogá-la, em especial àqueles que são fãs da cultura japonesa e ninja.

3 comentários:

  1. Uau, um jogo excelente em diversos aspectos. Comecei a jogar pelo Birth of Stealth Assassins e gostei demais.
    Conheci o Ninja Gaiden apenas no Xbox xDD Mas achei um jogo meio divergente daquela coisa ninja e tal, por conta de toda a magia no jogo and stuff. Nem tinha parado pra pensar sobre meu gosto a respeito desse genero, mas acredito que prefiro uma coisa mais "normal" neles. Tenchu não é 100% assim, mas acredito que ele passa essa impressão durante as missões.
    "não é mais um daqueles que o personagem usa uma grande arma que acerta cinco ou seis oponentes ao mesmo tempo," -> Cinco ou Seis?XD Derruba logo uma infantaria inteira xD
    "como paredes que simplesmente somem" -> XDDDDDDDD Vida de ninja já é dificil, ainda tiveram que deixar mais tenso XD
    Fazer Grand Master nas missões realmente exige muito treino, e bom conhecimento do campo.
    Ótima review cara, sensacional :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, cara. Esse jogo é ótimo mesmo, apesar das claras limitações técnicas. O segundo jogo, que tu se referiu, corrigiu bastante isso. Mas as paredes seguem sumindo, hehehe... Um desafio extra pros ninjas, hehehe...

      Um jogo que na verdade não inspirou muita coisa (me lembro do Assassin's Creed na nova geração), já que há uma tendência ao hack n'slash em qualquer coisa que tenha espadas. Mas até hoje é um jogo muito respeitado.

      Grande abraço.

      Excluir
  2. Mais um clássicos do PS1. Joguei todas as versões. Tem uma chamada "Tenchu: Shynobi Yakusen" que tem 100 fases feita no editor de fazes que tem na versão japonesa. Ótimo pra matar a saudade.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...