domingo, 1 de abril de 2012

METAL GEAR e METAL GEAR 2: SOLID SNAKE!

Escrito e editado por: Edu-jb

METAL GEAR!

Gênero: ação/espionagem
Plataforma: MSX2, NES, PS2
Ano de Lançamento: 1987
Produtora: Konami
Revisão: Metal Gear é o primeiro jogo da clássica série de espionagem da Konami. Além de ser o primeiro da série, este jogo apresentou uma nova perspectiva, muito à frente do que seria esperado para um jogo produzido em 1987. Mais do que uma jogabilidade inovadora, o jogo conta com um roteiro sólido, diferente do que costumava ser visto em jogos desta geração. A história se passa em 1995 e inicia quando terroristas, no interior da base de Outer Heaven ao norte da África do Sul, iniciam a construção de uma arma de destruição em massa. A FOX HOUND, uma agência americana de super soldados, envia Gray Fox, um de seus melhores agentes, em uma missão de reconhecimento. Alguns dias se passam e a única notícia que se tem de Fox é a mensagem “Metal Gear”. O líder do FOX HOUND, o lendário soldado conhecido como Big Boss decide então enviar um novato, porém promissor soldado chamado Solid Snake. A missão de Snake é descobrir onde está Gray Fox e o que significa Metal Gear. Nessa jornada, receberá ajuda através do comando de rádio de seu superior Big Boss, que dará muitos conselhos e informações a respeito do território inimigo, além de outras pessoas que encontrará na base. O roteiro é bem construído, cheio de revira-voltas e revelações. Metal Gear foi criado por Hideo Kojima, diretor de todas as produções da série principal até hoje. Cabe lembrar que as versões para NES e MSX2 apresentam algumas diferenças mínimas, mas a ideia principal é a mesma.

Jogabilidade: Snake se move nas quatro direções conforme acionado o direcional do controle. No início do jogo, como é de costume, ele está desarmado. O sinal de alarme é ativado toda vez que algum inimigo o vê, portanto passar quando os inimigos estão de costas e se esconder atrás de paredes e outros objetos são elementos vitais neste jogo. Quando o inimigo está de costas, Snake pode atacá-lo com o botão de ação, tirando-o de combate (uma versão bem inicial do Stealth Kill). Com o seguimento do jogo Snake conseguirá um grande arsenal, composto de pistolas, minas, lança – mísseis, além de uma série de acessórios como cigarro (?), detector de minas e óculos de visão térmica. O jogo dispõe de um mapa no canto superior direito da tela que funciona como radar, alertando para onde estão os inimigos.

Pros: para a época em que foi feito o jogo é genial, repleto de ideias utilizadas até hoje em jogos deste estilo. A movimentação do personagem é muito inteligente, permitindo um ambiente de camuflagem mesmo em um jogo 2D. O roteiro é consistente e atual, lembrando o de muito jogo produzido hoje em dia. A dificuldade do jogo é bem balanceada, sendo necessário mais raciocínio do que habilidade para chegar até o final do jogo.

Contras: o jogo é muito bom, mas ainda é um jogo de 8 bits. Apaixonados pela série provavelmente vão querer conferir como tudo começou (afinal os eventos deste jogo são relembrados nos atuais games). Mas jogadores ocasionais, acostumados com a sexta ou sétima geração, terão dificuldade em se adaptar a um jogo de 25 anos atrás. Fora isso, a trilha sonora é repetitiva, sendo por vezes melhor jogar no mudo.

Screenshots:




 






Trailer (na verdade um gameplay das primeiras missões):






METAL GEAR 2: SOLID SNAKE!

Gênero: ação/espionagem
Plataforma: MSX2, PS2
Ano de Lançamento: 1990
Produtora: Konami

Revisão: Três anos após o lançamento de Metal Gear, foi lançado uma continuação intitulada Metal Gear Snake's Revenge. O jogo foi lançado para o NES, especificamente no mercado norte-americano. No entanto, o jogo não possuía autorização do criador Hideo Kojima, que decidiu então lançar sua própria continuação. Assim nasceu Metal Gear 2: Solid Snake (não confundir com o do psx), lançado apenas no Japão para o MSX2. O jogo se passa em 1999, quatro anos após os eventos do primeiro jogo. Com o fim da Guerra Fria, a grande preocupação do mundo é com a crise de petróleo, que atinge níveis preocupantes. Após longa pesquisa, o cientista Tcheco Dr. Kio Marv descobre uma nova forma de energia, retirada de algas, denominada Oilix. Durante uma conferência em Praga, o dr. Marv é sequestrado por terroristas da ilha de Zanzibar, uma base criada para estocar soldados e armamentos nucleares. O novo comandante da FOXHOUND, Roy Campbell, traz de volta a ativa Solid Snake, esperando que suas habilidades em missões solo consigam trazer de volta o dr. Marv e seu projeto. Como sempre ocorre, Snake receberá auxílio de diversos especialistas através de seu codec. Logo no início, ele recebe a notícia de que um novo modelo de Metal Gear, conhecido como "D", foi roubado e está agora na base de Zanzibar. Pelo incrível enredo e pela produção de Hideo Kojima, este jogo é considerado o sucessor do original de 87, deixando para o Snake's Revenge o título de "realidade alternativa". Metal Gear e Metal Gear 2: Solid Snake foram relançados como parte da edição comemorativa de Metal Gear Solid 3, no box Substance, que conta com três discos, um com o jogo Snake Eater, outro com extras e missões e um terceiro com os jogos originais e mais alguns minigames.

Jogabilidade: a movimentação de Snake é muito semelhante ao primeiro jogo, sendo possível andar nas quatro direções das 2D. O alarme da base segue sendo ativado ao passar na frente do inimigo, sendo visão destes está mais realista, não mais limitada a uma linha reta. O jogo já conta com o radar no canto superior direito da tela, que mostra os inimigos que se aproximam e para onde estão olhando. Os inimigos agora podem trocar de tela, sendo este mais um fator a ser considerado no radar. Snake consegue se abaixar para passar por pequenas frestas de portões ou em dutos de ventilação. As armas seguem praticamente as mesmas do primeiro jogo, assim como as técnicas de camuflagem para derrubar inimigos sem ser visto. Na verdade, é impressionante que a jogabilidade deste jogo é exatamente a mesma de Metal Gear Solid Snake de 1998 para o Playstation, mostrando como o jogo é revolucionário neste sentido.

Pros: o roteiro do jogo é tão bom ou ainda melhor que o primeiro. Os temas abordados de armas nucleares e falta de petróleo ocasionando guerra é muito atual e bem elaborada (lembrando, para os que gostam de história, que este jogo foi produzido antes da primeira Guerra do Golfo). As revelações seguem presentes, uma marca de todos os jogos da série. Os diálogos são bem elaborados e o contato com o codec é necessário em várias ocasiões. A jogabilidade é inovadora para sua época, influenciando muitos jogos que seguiram, inclusive suas continuações. Os gráficos são bons para a época, e os detalhes de cenário são mais bem trabalhados.

Contras: o fato de o jogo ter sido lançado apenas no Japão limitou bastante o seu reconhecimento. Assim como o primeiro, os fãs da série podem querer conferir como tudo começou, mas outros acharão difícil ter motivação para jogar um jogo de 8 bits. E como todos os primeiros jogos da série, ocorre uma repetição de idas e voltas a lugares na incessante busca pelos cartões de acesso a níveis mais altos.

Screenshots:







Trailer (Intro):



Considerações Finais: os dois primeiros jogos da série Metal Gear são excelentes jogos, muito além do que se espera de um jogo da sua geração. Os roteiros são criativos, envolventes e atuais, não devendo nada a qualquer jogo ou até filme de ação produzido hoje. Além disso eles não tem aquela dificuldade irritante característica dos jogos desta época, sendo necessário muito raciocínio, investigação e paciência para concluir o jogo. No entanto, eles não alcançaram muito sucesso em seu tempo, sendo que a série ganhou o mundo apenas após o lançamento de Metal Gear Solid Snake para o Playstation em 1998. O relançamento para o PS2 em versão original é o merecido reconhecimento deste grande jogo que deu início a esta importante série.

4 comentários:

  1. Que review! Alias, que jogos! Não sei se já deixei isso claro, mas esses games me impressionaram de uma forma muito peculiar. Enquanto jogávamos, lembramos de pelo menos uns 10 games que tiveram base em algum aspecto deles (e não digo somente games de uma geração depois, mas sim games de até 2, 3 gerações posteriores)! Peço desculpas, mas admito que não acreditei em você quando me disse dos detalhes que fizeram tanta revolução. É realmente difícil acreditar que dois games tão antigos tenham pensado em TUDO (ou praticamente tudo) que veio a moldar os games de espionagem, de ação, etc. Sistemas de radares, sistemas de esconderijos (em lugares muito bem pensados, como debaixo de caminhões), uso de itens de uma forma inteligente e bem elaborada (talvez a primeira demonstração do conceito de "Puzzle" que conhecemos hoje), inteligência artificial impressionante, personagens marcantes (e que constantemente se comunicam com Snake, deixando sua participação no enredo bem clara), Storyline muito bem desenvolvido (com temas incomuns para a época). Não me arriscaria a dizer que esse foi o game que praticamente criou o conceito de muitos dos games do gênero que são utilizados até hoje (não somente os de espionagem, mas também muitos conceitos utilizados nos games de ação). Você pode não acreditar, mas ao ler sua excelente review e ver sua escolha para as Screenshots, eu senti uma saudade de ambos os games. Engraçado, sendo que não faz muitas horas que os zerei ai com você. Para quem não jogou, eu aconselho de verdade jogar! Muita coisa está aqui! O Edu-Jb não exagerou em nada do que disse em seu review, assim como eu não exagerei em nada que disse nesse comentário! Esses games são não somente games excelentes, mas também uma aula de historia dos videogames que ajuda você a entender de onde muitos dos conceitos utilizados até hoje vieram! Edu-Jb: Parabéns por essa belíssima review! Além disso, parabéns por trazer essa pérola dos games aqui para o Blog, sendo essa review, assim tão detalhada sobre eles, praticamente uma exclusividade do PrettyCoolGames.Blogspot (o que é uma pena, pois games desse nível deveriam ter seu destaque, o reconhecimento merecido, em muitos outros lugares)! Abraço brother! Nos falamos por ai! Até mais!

    ResponderExcluir
  2. Cara, parabéns pra ti pela tua coragem em jogar um jogo como este. A maioria dos gamers, acostumados com a sexta e sétima geração dos jogos, nem imaginaria jogar algo tão antigo. O que é uma pena. Metal Gear e Metal Gear 2 são jogos revolucionários e muito influentes (talvez tanto quanto Dragon Quest e Final Fantasy para os RPGs). No entanto o jogo permaneceu um tanto obscuro, talvez por estar muito à frente da maioria dos jogos produzidos neste período. Mas a importância é clara, já que quando Hideo Kojima decidiu continuar a série ele levou em consideração todos os eventos relatados nestes jogos, de modo que faz muito mais sentido jogar os "solid" depois de jogar estes.

    Reforço a recomendação para quem gosta de jogos de espionagem com boas histórias e não tem preconceito com jogos antigos. Superadas as dificuldades iniciais, o jogo é muito gratificante.

    Abração, cara. Até o próximo Metal Gear!

    ResponderExcluir
  3. É muito bom ver algo sobre Metal Gear, principalmente sobre os jogos mais antigos da série. Infelizmente não joguei os dois, apenas li, pesquisei e me atentei a todas as informações possíveis dentro e fora dos outros jogos. O motivo principal pelo qual eu não joguei, nem foi a "resistência" quanto a serem jogos antigos e estilo diferente das gerações atuais, mas sim uma mania/frescura minha de só querer jogar as coisas nos seus consoles originais, evito emulador de todo jeito xD
    Ai quando veio o relançamento no PS2 e tals, eu já tava com uma lista do tamanho do mundo pra jogar e ai nem tive chance ainda. Metal Gear é fantástico e uma das maiores obras do mundo dos games, tendo cada novo jogo com um enredo fantástico e como um todo é algo épico. E pensar que tudo isso começou tantos anos atrás num game daquela geração só mostra o quanto era de fato a frente do seu tempo. Não tenho muito mais o que dizer já que ainda não joguei, mas parabéns pelo review cara, é bom também pra galera que tá acostumada com as gerações recentes de videogames poder conhecer onde começou Metal Gear. Terminei o Twin Snakes do GC semana passada então tô no clima de Metal Gear, de repente estarei jogando esses muito em breve xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu recomendo fortemente que você jogue se é fã da série. O jogo tem um roteiro surpreendente, muita coisa do Metal Gear Solid é explicado nesses jogos, especialmente no que se refere ao Gray Fox e ao Big Boss, duas figuras que seguem sendo lembradas constantemente. A versão do ps2 facilita muito a jogabilidade. E você não precisará de tanto tempo assim, em um dia é possível zerar ambos, da última vez levamos cerca de 4 horas com o primeiro e 7 com o segundo, então quando tiver tempo manda ver. Abraço, cara!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...